E não é que a GVT agora oferece streaming de música?

Enquanto a maioria das operadoras de telecomunicações do Brasil mal oferece ao cliente o que está previsto em contrato, a GVT mostra mais uma vez que está um passo à frente e lança uma novidade pra lá de interessante aos seus clientes: o Power Music Club, serviço de streaming ilimitado ao acervo digital de músicas da Universal Music Group.

O Power Music Club é gratuito para qualquer cliente dos planos de banda larga Power da empresa. O interessante é que o serviço funciona mesmo quando o usuário está utilizando uma conexão à internet de outra operadora – numa viagem, por exemplo. Para clientes de outras prestadoras, o máximo que é possível fazer é escutar 30 segundos de cada música.

Power Music Club

Power Music Club

O acervo musical é respeitável, sendo composto por trabalhos de uma infinidade de artistas nacionais e internacionais, dos mais variados gêneros, como Caetano Veloso, Zeca Pagodinho, Nando Reis, Leonardo, Ivete Sangalo, Engenheiros do Hawaii, Tim Maia, Metallica, Black Eyed Peas, Bon Jovi, Mariah Carey, Steve Wonder, Rolling Stones, Lady Gaga, Bryan Adams, Aerosmith, entre vários outros. Atualmente, a Universal disponibiliza cerca de 300 mil canções no serviço, mas esse número aumentará periodicamente, uma vez que a empresa ainda está digitalizando boa parte de seu acervo.

Durante a apresentação do serviço, realizada na última terça-feira, perguntei a Alcides Troller Pinto, vice-presidente executivo da GVT, se há a possibilidade de o Power Music Club contar com o acervo de outras empresas de mídia. Alcides disse que, por enquanto, não há planos para isso, uma vez que a parceria com a Universal por si só já é bastante vantajosa, porém não descarta a entrada de outras companhias do ramo no serviço. Curioso é que a Universal sim está impedida contratualmente de fechar um acordo do tipo com outras empresas de telecomunicações no Brasil, o que pode frustrar a intenção de concorrentes de oferecer serviços parecidos.

Quanto ao site do Power Music Club, este funcionou bem em todos os navegadores que testei (Firefox, Chrome, Internet Explorer 9 beta e Opera). Como é baseado em Flash, acaba não funcionando para quem tenta acessá-lo do iPhone ou do iPad. Para encontrar músicas, o usuário pode procurá-las por gênero, por lista de artistas ou pelo serviço de busca do site. Também é possível criar playlists e compartilhá-las com outros usuários. A qualidade sonora de todas as músicas que eu ouvi (e não foram poucas) me agradou bastante. Nada de chiados, som abafado ou vozes “robóticas”.

Power Music Club: simples, mas funcional

Power Music Club: simples, mas funcional

Eu só achei o serviço simples demais. Poderia haver sugestões de músicas com base na canção que está sendo tocada no momento ou possibilidade de consultar o histórico de faixas já escutadas. O carregamento dos resultados de busca poderia ser mais rápido, assim como a sua precisão, mas creio que são questões que a GVT pode estudar com o passar do tempo, especialmente se os usuários sugerirem 😉

O Power Music Club também oferece streaming de vídeos musicais, promoções e notícias sobre o mundo artístico. Mas, como já disse, o serviço é exclusividade de usuários da GVT. Cheguei a perguntar a Alcides Troller se há alguma chance de clientes de outras operadoras utilizarem a novidade, mesmo que pagando uma taxa. Novamente, Alcides não descartou a possibilidade, mas afirmou que, no momento, o objetivo da empresa é o de garantir o Power Music Club aos clientes de banda larga da companhia.

Nesse sentido, ao menos há uma boa notícia: a GTV está, aos poucos, expandido suas operações para vários munícipios brasileiros. A empresa já está chegando à capital carioca e, em 2011, pretende fornecer seus serviços de banda larga residencial também na cidade de São Paulo. E não termina aí: a GVT também tem planos de oferecer TV por assinatura. Que assim seja!

Emerson Alecrim