Dell fala de sua atuação no Brasil em 2011

A Dell apresentou na manhã de hoje (30/11/2011), em São Paulo – SP, novos computadores para atender aos segmentos domésticos e de PMEs (Pequenas e Médias Empresas). Com a proximidade do final do ano, a companhia aproveitou a ocasião para também fazer uma rápida retrospectiva de sua atuação no Brasil durante o ano de 2011.

É interessante prestar atenção nestes detalhes porque eles mostram como o mercado brasileiro tem um ritmo diferenciado atualmente. Enquanto países da Europa geram desconfiança por causa da desaceleração econômica, o Brasil avança como se não tivesse medo de uma crise. Mas somente empresas que entendem bem as particularidades do nosso mercado conseguem tirar proveito disso.

Neste sentido, a Dell está apostando em serviços – e não somente em produtos – para se diferenciar dos concorrentes no Brasil, que está se tornando um mercado cada vez mais importante para suas operações. Um dos programas que a empresa implementou em 2011 é o atendimento gratuito a domicílio para todos os equipamentos que apresentarem defeito durante o período de garantia. Outra novidade é CompleteCare, uma espécie de seguro (pago) que cobre reparos em produtos danificados acidentalmente.

Raymundo Peixoto, diretor geral da Dell Brasil, e Daniel Neiva (ao fundo), diretor de vendas

Raymundo Peixoto, diretor geral da Dell Brasil, e Daniel Neiva (ao fundo), diretor de vendas

Além disso, a companhia, que em um passado não muito distante vendia quase que exclusivamente por internet e telefone, dobrou sua participação no varejo em 2011: atualmente, computadores da Dell já podem ser encontrados em mais de mil lojas em todo o país. Estratégia importantíssima: muitos consumidores gostam de ver o produto na sua frente antes de comprar, sem contar aqueles que preferem retirar o equipamento na hora.

A Dell se mostra confortável em relação ao mercado brasileiro porque, por aqui, desktops e notebooks ainda vendem bem. De acordo com informações da própria, enquanto lares das classes C e D estão tendo o seu primeiro ou o segundo computador, nas classes A e B já é comum cada morador ter a sua própria máquina. Além disso, a estabilidade econômica está fazendo muitas empresas surgirem ou se modernizarem, impactando de maneira bastante positiva as vendas para o segmento corporativo.

É claro que nem tudo são flores. Pelo menos no Brasil, produtos Alienware estiveram com pouca evidência neste ano e a Dell não fez menção de qualquer novidade da linha para 2012 (também, não dá para esperar muita coisa de computadores tão caros…), por exemplo. A empresa também não aparenta estar à vontade com o segmento móvel: a participação da Dell nos mercados de smartphones e tablets é extremamente baixa. Por enquanto, a companhia só está “olhando”. Só espero que, quando decidir reagir, não seja tarde mais.

Imagens dos produtos anunciados hoje

Em tempo: perguntei se a crise no mercado de HDs (causada pelas inundações que paralisaram fábricas na Tailândia) influenciou a produção local da empresa. De acordo com os executivos da Dell, não houve aumento de preços ou atrasos em pedidos por conta deste cenário, já que a companhia possui uma estrutura gigantesca de fornecimento que, pelo menos até agora, tem combatido o problema. De qualquer forma, os executivos esclareceram que a empresa está observando a situação de perto para evitar surpresas.

Emerson Alecrim





Nenhum comentário

Comentários encerrados.