Dell comemora 10 anos de Brasil mostrando o que é inclusão digital de verdade

Este é o mês em que a Dell comemora seu aniversário de 10 anos no Brasil. E o faz em grande estilo: ontem, ninguém menos que Michael Dell, fundador da empresa, participou de uma coletiva de imprensa em São Paulo ao lado de Raymundo Peixoto, Diretor Geral da Dell no Brasil, e Paul Bell, Presidente para o Segmento de Public da companhia.

Da esquerda para a direita: Raymundo Peixoto, Michael Dell e Paul Bell
Da esquerda para a direita: Raymundo Peixoto, Michael Dell e Paul Bell

A Dell começou suas atividades por aqui em novembro de 1999, com uma fábrica em Eldorado do Sul (RS). De lá para cá a participação da empresa no Brasil só cresceu. Em 2007, a Dell decidiu fabricar seus produtos em uma nova fábrica localizada em Hortolândia (SP). Em agosto de 2009, a companhia abriu um escritório na capital paulista para reforçar ainda mais suas operações em terras tupiniquins.

Durante a coletiva, Michael Dell, Paul Bell e Raymundo Peixoto deixaram claro o quão importante o mercado brasileiro é para a empresa. Dell deu a entender que o Brasil pode não ter o mesmo potencial que a China (e quem é que tem atualmente?), por exemplo, mas em comparação com a índia e a Rússia é o mercado com as melhores oportunidades de negócios.

Mas, Michael Dell e Paul Bell não vieram ao Brasil apenas para comemorar. Vieram principalmente para mostrar quais são os planos da empresa para o país daqui pra frente: uma das metas mais importantes a partir de agora é ter participação mais ativa junto ao setor público, com destaque para a área de educação. Neste ponto, a empresa “chegou chegando”.

Michael Dell e Paul Bell
Michael Dell e Paul Bell

Muita gente pensa que inclusão digital consiste tão e somente em disponibilizar PCs com acesso à internet para quem nunca teve contato com isso na vida. Outros pensam que o simples ato de equipar salas de aula com computadores é suficiente para melhorar a educação. Mas, não é só isso, não é tão fácil assim. É necessário mostrar também como todo esse aparato tecnológico pode fazer diferença na vida das pessoas e, com base nisso, fazer com que todos esses recursos sejam aproveitados.

Durante a coletiva da Dell, fiquei satisfeito ao notar que a empresa tem essa percepção. Sim, pois o que eu já vi de “pseudo-projetos” de inclusão social por aí não é brincadeira. Primeiro, a companhia apresentou o programa Dell YouthConnect, que no Brasil será executado junto ao CDI (Comitê para Democratização da Informática), uma das poucas ONGs que fazem no país um trabalho de inclusão digital realmente sério e consistente.

Com a parceria, o CDI vai contar com o patrocínio da Dell em nove de suas unidades, sendo três em Campinas (SP), três em São Paulo (SP) e três em Porto Alegre (RS). Além disso, a entidade vai receber 55 computadores Dell para equipar o Mega CDI, no Rio de Janeiro (RJ).

Porém, o que mais chamou a minha atenção foi uma solução educacional que a Dell chama de Sala de Aula Conectada. Trata-se de um “pacote” com diversas ferramentas que fazem com que as escolas possam modernizar suas aulas e corresponder ao “mundo digital” que muitos alunos já conhecem de casa. A solução conta com lousa interativa, projetor de imagens, sistema de áudio, impressora, rede sem fio, notebook para professores, netbooks para alunos, entre outros.

Aula interativa em uma lousa digital
Aula interativa em uma lousa digital

O melhor de tudo é que esse pacote é acompanhado também de conteúdo. Graças a uma parceria com a Universidade de São Paulo, a solução Sala de Aula Conectada oferece conteúdo interativo de várias disciplinas. Em uma aula de matemática, por exemplo, o professor pode apresentar uma função de segundo grau e pedir para um aluno ou até mesmo para a classe toda dar a resposta para a pergunta relacionada usando seu netbook. Através da lousa digital o professor pode então fazer incrementos no gráfico da função para explicar aos alunos o que acontece.

Para que pudéssemos entender melhor, a Dell convidou os presentes para assistir uma aula de demonstração. Eis um trecho dela:

No projeto Sala de Aula Conectada, os alunos recebem o Dell Latitude 2100, netbook com tela de 10,1 polegadas sensível ao toque que foi desenvolvido especialmente para atividades em sala de aula. Para você ter uma ideia, o equipamento tem revestimento de borracha (em várias cores) que o ajuda a protegê-lo de quedas ou choques. Além disso, o equipamento é pequeno e leve, facilitando o seu transporte. O Latitude 2100 também conta com um LED na parte traseira da tela que acende sempre que o aluno não estiver acompanhando o conteúdo disponibilizado pelo professor.

Netbook Latitude 2100
Netbook Latitude 2100

Netbook Latitude 2100 - Destaque para o revestimento de borracha e para o LED
Netbook Latitude 2100 – Destaque para o revestimento de borracha e para o LED

De acordo com a Dell, uma parceria com o governo de São Paulo está permitindo que 26 escolas públicas de Hortolândia utilizem a solução Sala de Aula Conectada, iniciativa esta que pode beneficiar 6 mil alunos e 90 professores, e que posteriormente será avaliada pelo UNESCO e pelo próprio governo.

Quer saber? Depois da apresentação, saí de lá querendo ser estudante de novo! A aula “demo” mostrou claramente que, quando bem utilizados, recursos tecnológicos podem não só oferecer um ensino melhor, como também motivar o aluno. Ah, eu também saí de lá morrendo de vontade de ter um Latitude 2100 😀

Muito bacana, não? Espero que essa ideia incentive outras empresas a desenvolverem projetos tão bons quanto este. Para saber mais sobre a solução Sala de Aula Conectada, basta acessar o link www.dell.com.br/k12br. Ah, sim: coloquei mais fotos do evento no Flickr.

Emerson Alecrim