Cubano está a 4 meses em greve de fome para ter acesso à internet

O jornalista e psicólogo Guilhermo Fariñas, de 42 anos, está a 4 meses em greve de fome em protesto contra a impossibilidade de usar a internet em Cuba.

Fariñas está internado em estado grave em um hospital na província de Villa Clara, onde é alimentado via intravenosa, já que seu aparelho digestivo está debilitado. Como conseqüência, seu peso passou de 78 para 50 quilos.

Guilhermo já recebeu dezenas de cartas pedindo a desistência dessa forma de protesto, mas ele insiste:

“Minha greve de fome se estenderá até a minha morte se os governantes cubanos não me outorgarem o direito de usar a internet”.

O protesto começou quando Fariñas se viu impossibilitado de usar a internet para transmitir informações de sua agência, na cidade de Santa Clara (o governo cubano considera a agência ilegal), mas agora ele luta para que todos os cubanos tenham acesso à “grande rede”.

O governo cubano alega que as restrições do acesso à internet se devem à impossibilidade de se usar os cabos submarinos de telecomunicações que contornam Cuba, restrição imposta pelo embargo econômico mantido pelos Estados Unidos.

Guilhermo Fariñas, no entanto, é opositor de Fidel Castro e as informações que transmitiria pela internet têm a ver com a situação de cerca de 300 presos políticos no país e com os atos de repressão contra os opositores do governo.

Referência: IBLNews.

Emerson Alecrim





  • Greve de fome por causa da internet?

    Cada coisa viu, hoje se faz greve de fome por qualquer besteira que aconteçe.

    Acho que vou fazer uma greve de fome, só volto a comer se eu ganhar um fuca total flex e uma intruder 250 devidamente modificada.

    FALOW !

  • Fui só eu que achei irônico o Sergio criticar a exigência do cubano ( ter como se expressar na Internet ) através da Internet?

  • Gabriel Penna

    Concordo com o Wilerson.

    Não sabemos a realidadde do povo cubano. Tudo lá é difícil. Desde livros a telefonemas. Uma amiga minha tenta ligar para a família lá e só consegue eventualmente. Para nós que temos é facil dizer isso, mas imagine você não ter acesso a informação e precisar pesquisar, estudar, ser cientista ou mesmo só aprender a configurar um outlook sem internet…

  • Luciana

    Se ninguém lutar por seus direitos quem o fará? Desmandos e desmandos de um governo autoritário.. O povo tem que reagir da maneira que achar necessária.

  • Enquanto Fidel massacra sua população e ignora todos os direitos do homem, George W. Bush se preocupa de forma incrível com os países árabes. Fidel pode matar, mas os árabes não podem construir armas químicas ou atomicas. Penso que a piór sorte do povo cubano esta em não haver muito petróleo em suas terras, pois, se assim fosse, talves tivessem alguma chance de sairem deste pesadelo e serem “libertos” pela força americana. Teriam suas terras tomadas e o petróleo roubado, mas teriam, enfim, liberdade e internet!

  • ricardo

    Cada povo tem o governo que merece

  • Ricardo, isso vale para o Brasil também. E para a China. E, porque não, para os EUA. É só pra mim que definir um povo pelo seu governo soa errado?

  • Mondragon

    Irônico no fundo é olhar só o lado que interessa. Particularmente, a situação em Cuba é exageradamente mal compreendida. Os cubanos tem estudo e saude reconhecidas como mais eficientes que em muitos paises teoricamente democraticos, e isso inclui o Brasil. Se assim não fosse a população cubana já teria dado seu recado ao mundo. Tudo é uma questão de ponto de vista. Se o meu país não atende a maioria de seus cidadãos em primeiro lugar, quem irá atender? A Microsoft por acaso? Não é bem assim, a internet pode provocar estragos violentos ao longo do tempo. O buraco é mais embaixo!!

  • Na Alemanha nazista os trens chegavam sempre na hora certa.

  • Geová

    Luciana falou, em sua participação acima, no pesadelo do povo cubano. Será que para eles seria a solução, aquilo que ela sugere?, será que os cubanos querem a “liberdade” “dada” pelos americanos ao povo iraquiano?, será que o povo cubano trocaria o seu “pesadelo” pela liberdade que têm os povos das favelas do Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Recife, pela liberdade dos camponeses que não têm terra para trabalhar?, etc, etc…?. Não conheço a realidade cubana, a não ser através de leitura, depoimento de alguém que esteve lá, e através dos nossos meios de comunicação, que por sinal são altamente “democráticos e imparciais”. Mas pelo que sei o povo cubano trocaria so seu pesadelo de ter um sistema de saúde exemplar, dentro dos limites, pela liberdade de morrer, democraticamente nas filas dos nossos hospitais?.
    Bem pessoal, não sou um anti-democrático, a liberdade para mim é fundamental, é vida, também, mas se faz necessário fazermos uma reflexão mais profunda sobre o que será de fato esta liberdade citada pela prezada Luciana.

    Um abraço a todos

    Geová.

  • Geová

    Alô pessoal, por favor me desculpem, no comentário que eu fiz acima, me a um comentário feito pelo Sr. Eliezer Cardoso e não Luciana, como eu havia colocado no texto, por favor, onde tem Luciana, leia-se Eliezer.
    Obrigado e mais uma vêz desculpem o erro; Geová

  • walter

    Falou tudo geová.