Carol Bartz deixa o comando do Yahoo! e reacende os rumores sobre a venda da empresa

Durou pouco mais de dois anos e meio o “reinado” de Carol Bartz no Yahoo!. A executiva, que esteve à frente da companhia desde janeiro de 2009, simplesmente recebeu uma ligação no início desta semana que a avisou de sua demissão. E a pergunta que fica no ar é: o que acontece com o Yahoo! a partir de agora?

Bartz teve papel importantíssimo em várias decisões delicadas para a empresa. Uma delas foi a recusa da proposta de aquisição feita pela Microsoft em 2008, pelo valor de 45 bilhões de dólares, aproximadamente – hoje, o Yahoo! vale pouco mais de 17 bilhões de dólares. Pouco tempo depois, no entanto, ambas as companhias fecharam uma parceria que colocou o Bing como principal mecanismo de busca do Yahoo!.

Carol Bartz – Imagem por Wikipedia

Carol Bartz – Imagem por Wikipedia

O trabalho de Bartz também resultou em uma operação de “limpeza”: vários serviços da companhia foram descontinuados por não gerarem receita, entre eles, MyBlogLog, GeoCities e AllTheWeb. Além disso, o quadro de funcionários também teve que ser enxugado: cerca de 2,5 mil empregados foram demitidos durante o período em que Bartz permaneceu como CEO.

Apesar dos esforços, a situação do Yahoo! não melhorou. A companhia continuou vendo sua receita e sua competitividade diminuírem com o passar do tempo. Não é por menos que, em 2010, Carol Bartz teve que ver seu salário cortado em cerca de 75%: de 47 milhões de dólares para quase 12 milhões de dólares.

O cargo de CEO do Yahoo! foi repassado a Tim Morse, até então diretor financeiro da empresa, que deverá ocupar o posto pelo menos até que um nome mais apropriado possa assumir. A expectativa de acionistas e do conselho administrativo, no entanto, é a de que Morse consiga desde já colocar o Yahoo! em novos rumos, mas precisamente, que reabra a questão da venda da companhia.

De acordo com analistas de mercado, entre os possíveis compradores estão a AT&T, o conglomerado News Corporation, a empresa de capital de risco Silver Lake e até mesmo o Facebook. Isso deixa claro que, em termos de serviços e produtos, não deveremos esperar grandes novidades da nova direção.

Referências: The Wall Street Journal, MercuryNews.com, AllThingsD.

Emerson Alecrim