Caixas eletrônicos começam a usar biometria. Será que isso facilitará nossas vidas?

0 Flares 0 Flares ×

Os caixas eletrônicos são máquinas simples, criadas para permitir que até pessoas sem conhecimento algum de informática possam sacar dinheiro ou acessar suas informações bancárias. Essa simplicidade, no entanto, ficou comprometida pelo número cada vez maior de procedimentos de segurança empregados para evitar que o cliente seja vítima de golpes.

Em um dos bancos em que tenho conta, é necessário inserir o cartão duas vezes na máquina, digitar minha senha de acesso ao caixa eletrônico (para acessar o banco pela internet, a senha é outra), informar meu código de segurança e, dependendo do que eu fizer, tenho que inserir o cartão novamente. Em outro banco, além de tudo isso, ainda tenho que decorar um código baseado em letras. A conseqüência não poderia ser outra: vez ou outra esqueço uma senha ou um código e acabo não conseguindo usar o caixa.

Ontem, o site da Folha publicou uma notícia que informa que os bancos Bradesco, Itaú e Unibanco começaram a implantar caixas eletrônicos que usam biometria, mais precisamente, sistemas de leitura de mão (e, quem sabe, mecanismos de leitura de íris). Casos os testes com esses equipamentos apresentem bons resultados, a tendência é a de que todos os caixas eletrônicos sejam equipados com essa proteção.

A aplicação de soluções de biometria nos caixas eletrônicos tem como foco o reforço da segurança. Seu uso em massa depende de uma série de fatores, já que se trata de uma tecnologia nova, que ainda precisa ser padronizada pelos bancos. Todavia, espero que, quando esses caixas estiverem disponíveis em larga escala, tenhamos mais praticidade no uso dessas máquinas, pois não sei quanto a você, mas eu já não agüento mais decorar um monte de senhas e códigos de segurança…

Para saber mais sobre biometria, leia este artigo.

Emerson Alecrim

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×




8 comentários:

  1. Camilo


    Você tem conta no Itaú e no Banco do Brasil??

    A usabilidade do Itaú é ridícula…é uma merda tirar dinheiro lá.

    No Banco do Brasil apesar das letrinhas, é tudo mais fácil, demoro um terço do tempo que demoro no Itau.

  2. Erika


    Talvez eu seja um pouco paranóica. Ok, totalmente paranóica. Mas será que isso não vai gerar uma onda de ladrões arrancando mãos e olhos pra sacar dinheiro?

    Aqui, do mesmo lugar onde eu tiro essas idéias os bandidos tbém podem tirar tá?

  3. Emerson Alecrim


    Não, é necessário ter sinais vitais para usar biometria.

  4. Rafael Arcanjo


    Emerson,

    Dependendo da tecnologia de biometria utilizada, não se tem a verificação de sinais vitais. Pelo menos não antigamente, mas acho que isto deve se tornar default.

    Tá certo que no caso então o ladrão lhe levaria até o banco, vivo, e lhe forçaria a colocar a mão lá, mas isto hoje já acontece.

  5. Emerson Alecrim


    Sim, é verdade, é que me expressei mal. Os sistemas que utilizam somente leitura da geometria de mãos, por exemplo, podem funcionar sem verificação dos sinais vitais, mas creio que não é isso que acontecerá nos caixas. Li um artigo não sei onde, que citava justamente essa questão. Para algumas aplicações, checar os sinais vitais é imprescindível. Acho que é o caso dos bancos.

  6. Gustavo


    Olá,

    O certo seria o governo fazer um cadastro geral, ao invéz do RG, por exemplo. Assim, os bancos e qualquer outra entidade poderia usar a base de dados do governo.

    Seria bem interessante. Mas, já é um começo!
    []s

  7. Rodolfo Magalhães


    “Seu uso em massa depende de uma série de fatores, já que se trata de uma tecnologia nova…”, e cara… muito cara mesmo. Acho que os bancos dão prioridades a outros tipos de sistemas de segurança que “descontasse” menos em minha conta…

  8. thiago rafael


    Acho que os bancos estão buscando saídas, soluções com tecnologias que são possíveis atualmente, sempre visando a segurança dos usuários e de seus sistemas – tentando assim sempre estar um passo à frente dos criminosos.

    Agora a segurança pública não é da competência deles. O Estado deixa muito a desejar nesse ponto.

    O bandiso vai certamente arrancar seus olhos se for preciso, sem a menor cerimônia, visto que a impunidade reina neste país. Infelizmente.

    Com tudo isso, vejo a novidade “com bons olhos”.
    O esforço é válido.