As principais mudanças que Mark Zuckerberg anunciou para o Facebook

Mark Zuckerberg até que tentou, mas ele não tem a mesma presença de palco que Steve Jobs. Mas isso é o de menos: no evento f8, que aconteceu hoje (22/09/2011) em San Francisco, Estados Unidos, o principal mentor do Facebook liderou a apresentação de uma série de novidades importantes para o serviço. É o Facebook mostrando que não está nem um pouco disposto a perder a sua hegemonia.

A principal novidade é um recurso chamado Timeline – linha do tempo, em bom português. Trata-se de uma página de perfil que reunirá todas as informações mais relevantes do usuário ao longo do tempo. Será possível verificar fotos, acessar conteúdo compartilhado, ver atividades recentes ou mais antigas, adicionar eventos, enfim, tudo com base em uma classificação por ano e meses.

A nova cara do Facebook (Imagem por Facebook)

A nova cara do Facebook (Imagem por Facebook)

Trata-se, de fato, de uma página capaz de resumir todas as atividades do usuário, inclusive aquelas que não estão diretamente ligadas ao Facebook: um cliente da Netflix, por exemplo, poderá integrar ambos os serviços de forma a mostrar automaticamente em sua linha do tempo os filmes que assistiu. Aplicativos dos mais diversos tipos poderão contar com esta forma de integração, o que aumenta inclusive as possibilidades para desenvolvedores e empresas externas.

Haverá mudanças no visual também, como é de se esperar. Será possível até mesmo colocar uma imagem grande no topo da página (cover) para deixar o perfil ainda mais pessoal. O usuário também terá algum tipo de controle para determinar que tipos de informações não deverão aparecer.

www.youtube.com/watch?v=hzPEPfJHfKU

Mas não termina aí. Além da Timeline, o Facebook contará também com mudanças significativas no Open Graph, um protocolo que permite a integração do serviço com outros sites. É graças a esta ferramenta que é possível, por exemplo, colocar uma botão de “Curtir” em uma página ou permitir que visitantes comentem um post de um blog utilizando sua conta do Facebook.

Em breve, o Open Graph permitirá ao usuário não só “curtir”, mas também “jogar”, “assistir” e outros verbos. Para entender melhor, suponha que um usuário tenha começado a ver um filme na Netflix. Esta informação pode ser compartilhada no Facebook, mas em vez de informar “Fulano curtiu o filme tal”, aparecerá “Fulano assistiu – ou está assistindo – ao filme tal”. Esta nova classificação ajudará ainda mais o usuário a interagir com amigos que tenham atividades e, consequentemente, gostos em comum.

www.youtube.com/watch?v=q3b94kFBah8

Todas as ações provenientes do Open Graph gerarão notificações no Ticker, uma coluna que ficará na parte da direita da interface do Facebook, o que certamente fará com que as notificações se tornem mais organizadas e menos inconvenientes. Isto porque elas não aparecerão no feed de notícias. Esta é inclusive uma forma de não perturbar os amigos com informações pouco relevantes. Em uma comparação grosseira, o Ticker é como se fosse uma espécie de “Twitter discreto” dentro do Facebook.

Quando? Pois é, não há data definida para que estas mudanças cheguem às contas dos usuários, apenas se sabe que isso acontecerá nos próximos dias, de maneira gradual. Sendo assim, o negócio é aguardar e conhecer uma amostra do que virá por aí no endereço www.facebook.com/about/timeline. Os mais apressados, no entanto, podem tentar as orientações do TechCrunch (em inglês) para ter acesso imediato à nova fase do Facebook 😉

Emerson Alecrim





Nenhum comentário

Comentários encerrados.