Apple fala em entrevista de sua atuação na América Latina

No final de fevereiro, muitos sites divulgaram a notícia de que os países mais “ignorados” pela Apple são os da América Latina. A notícia teve tanta repercussão – especialmente nos países de língua espanhola – que Manuel Cernuda, gerente de vendas da Apple para a América Latina e Caribe, concedeu uma entrevista ao site Silicon News para tentar esclarecer algumas coisas. Selecionei três perguntas que achei interessante:

Na rua, nos blogs e em fóruns tem-se falado muito do “esquecimento” da América Latina pela Apple. Para a empresa, o mercado sul-americano não é viável?

De forma alguma a Apple se esqueceu da América Latina, pelo contrário, a região oferece muitas oportunidades para nós. A Apple tem uma ampla rede de distribuidores na América Latina onde os clientes podem adquirir nossos produtos. Veja a lista de distribuidores autorizados em http://latam.apple.com/resellers.

(…) O custo do iPod Nano de 2 GB nos EUA é de 149 dólares, enquanto que no Brasil é de 327,71 dólares e, na Argentina, é de 322,87 dólares. Por que existe essa diferença de preços?

A Apple tem um preço sugerido para cada produto. No entanto, por razões que estão fora de nosso controle, como impostos e taxas de importação e transportes, os preços acabam mudando. Esse é um problema que todas as empresas de tecnologia enfrentam. Vocês citam dois exemplos (Brasil e Argentina), mas deveriam checar outros países latino-americanos, como México e Porto Rico, onde os preços dos produtos são iguais aos dos EUA.

Existe uma data de inauguração do iTunes Latino-americano? Muitos usuários alegam que o iTunes latino é simplesmente para pessoas de cultura latina que vivem nos EUA, com apenas uma seleção especial de conteúdo em espanhol, como programas de TV mexicanos.

A decisão de abrir lojas do iTunes na América Latina não depende apenas da Apple. É necessário considerar os direitos dos selos fonográficos dos artistas que estão na loja. No momento, não temos nenhuma informação a respeito.

Pela entrevista, dá para perceber que ainda teremos que esperar muito para os produtos da Apple serem mais acessíveis por aqui. E os motivos são sempre os mesmos: carga tributária alta, custos operacionais elevados e economia que desestimula investimentos maiores.

Para ler a entrevista de Manuel Cernuda ao site Silicon News na íntegra, clique aqui (em espanhol).

Emerson Alecrim





  • Sub-Zero

    Nossa que orgulho de ser brasileiro.

    E isso não é só com os produtos da Apple não, depois eles ainda reclamam de pirataria.

  • Foi mais um, fala fala mas não diz nada.
    Tentou explicar algo que esta claro, a apple não da muita bola para nós e ponto.

    FALOW !

  • Gabriel

    Eles q não abram logo o olho, pois com o mercado tão globalizado como de hj logo logo alguma empresa grande engole eles por aqui com produtos similares q as vezes são até melhores.